. . .
5.3.1 ›

SOCIAIS

No âmbito do eixo da estratégia da sustentabilidade da REN que diz respeito ao bem-estar interno, são muitos os indicadores recolhidos ao longo do ano de 2016 que permitem aferir o impacto das medidas tomadas neste sentido.

 

GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DO CAPITAL HUMANO

O ano de 2016 centrou-se na integração e consolidação das diferentes iniciativas e na implementação de programas desenvolvidos ainda durante o ano de 2015.

Os objetivos de desenvolvimento de uma cultura única alinhada com as atuais e futuras necessidades de negócio e de implementação de políticas integradas, transparentes e transversais foram também fortalecidos pela maior comunicação das diferentes atividades de recursos humanos e maior envolvimento dos diferentes stakeholders.

Desta forma a consolidação do modelo integrado de recursos humanos passou por:

    • Continuação da adequação e otimização do modelo organizacional ao desenvolvimento do negócio e desafios no setor, potenciando a sua flexibilidade e o rejuvenescimento da estrutura;
    • Consolidação da implementação das políticas estabelecidas pelo Novo Acordo Coletivo de Trabalho e novos regulamentos de recursos humanos;
    • Implementação de um programa de desenvolvimento integral do capital humano, o Campus REN, onde a seletividade da formação e das diferentes iniciativas de desenvolvimento é realizada tendo em consideração as necessidades de negócio e do desenvolvimento individual de cada colaborador, garantindo-se a passagem de know-how e a atualização e sustentabilidade do conhecimento específico da organização;
    • Implementação do novo portal do colaborador, o MyREN, que vem agilizar e centralizar numa única plataforma os processos relacionados com a gestão de recursos humanos, simplificando o dia-a-dia dos colaboradores;
    • Continuação do desenvolvimento de programas de motivação e sustentabilidade do clima organizacional, bem como de aproximação à comunidade, com a promoção de iniciativas no âmbito de vetores como equilíbrio, igualdade e inclusão, com elevado impacto e reconhecimento;
    • Evolução do programa de benefícios REN Flex, com a introdução de novos benefícios, em linha com o feedback recolhido por parte dos colaboradores, potenciando assim a adequação do programa às suas necessidades;
    • Continuação dos programas de reconhecimento de talento e desempenho, de forma sustentada e alinhados com as melhores práticas de recursos humanos;
    • Reforço da comunicação das atividades de recursos humanos e do envolvimento de todos os seus stakeholders, com a realização de iniciativas como o encontro de quadros, encontros de gestão, workshops de estratégia entre outros.

Os diferentes programas e iniciativas têm possibilitado a consolidação da imagem externa da REN em matéria de recursos humanos, tendo em 2016 alcançado quatro novas distinções – As Empresas Mais Atractivas para Trabalhar (entrada no Top 20, Escola de Economia e Gestão da Universidade do Minho e Spark Agency), Prémio Best Place to Work (Prata, Best in Biz Awards 2016), Most Attractive Employers (1º lugar, Universum), Prémios Healthy Workplaces - Locais de Trabalho Saudáveis (2º lugar, categoria Grandes Empresas, Ordem dos Psicólogos).

CARATERIZAÇÃO DOS RECURSOS HUMANOS

No final de 2016 o número de colaboradores assinalou uma redução de 1,9% face a 2015. A idade média e antiguidade média mantiveram-se estáveis nos últimos 4 anos, em resultado de uma política consolidada de rejuvenescimento da estrutura do Grupo REN.

NÚMERO DE COLABORADORES
  '16 '15 '14

Colaboradores a termo e sem termo

605 620 640

Estagiários profissionais

3 0 1
Total
608
620
641
NÚMERO DE COLABORADORES
  '16 '15 '14

Quadro Permanente

593 609 627

Contrato a Termo (Certo, Incerto e C. Serviço)

12 11 13

Estagiários profissionais

3 0 1
Total 608 620 641
'16
  TOTAL MULHERES HOMENS

Quadro Permanente

593

141 452

Contrato a Termo (Certo, Incerto e C. Serviço)

12 5 7

Estagiários profissionais

3 1 2
Total
608 147 461
   '16 '15   '14

Idade média

44,3 44,3   44,3

Antiguidade média

 16,5  16,5 16,7
TAXA DE ROTATIVIDADE
  '16 '15 '14
Homens

4,5%

5,3%

6,2%

Mulheres

1,9%

1,3%

0,3%

Total 6,5% 6,6% 6,5%
TAXA DE ROTATIVIDADE POR FAIXA ETÁRIA
'16 '15 '14

até 30 anos

1,3%

0,6%

0,3%

de 30 a 50 anos

1,3%

0,8%

0,3%

acima de 50 anos

3,9%

5,2%

5,9%

Total 6,5% 6,6% 6,5%

A taxa de rotatividade em 2016 manteve-se similar nos mesmos níveis de 2015, tendo sido mantido o programa de pré-reformas iniciado em 2013. 

Apesar de um ligeiro aumento, esta taxa de rotatividade manteve-se menor nos grupos etários abaixo dos 50 anos, demonstrando a eficácia dos programas desenvolvidos no aumento da capacidade de retenção do talento da REN.

SAÍDAS POR FAIXA ETÁRIA
'16 '15 '14

até 30 anos

8 4 2

de 30 a 50 anos

8 5 2

acima de 50 anos

24 33 39
Total 40 42 43
ENTRADAS
  '16 '15 '14
Homens 19 12 6
Mulheres 9 9 2
Total 28 21 8
TAXA DE ENTRADAS
  '16 '15 '14
Homens

3,1%

1,9%

0,9%

Mulheres

1,5%

1,4%

0,3%

Total
4,5%
3,3%
1,2%
TAXA DE ENTRADAS POR FAIXA ETÁRIA
  '16 '15 '14

até 30 anos

2,6%

2,2%

0,8%

de 30 a 50 anos

1,9%

1,1% 0,5%

acima de 50 anos

0,0% 0,0%

0,0%

Total
4,5%
3,3%
1,2%
DIVERSIDADE
'16 '15 '14
Homens

461

470

492

Mulheres

147

150

149

Total 608 620 641
DIVERSIDADE
(DIREÇÃO)
  '16 '15 '14
Homens 17 18 22
Mulheres 8 10 9
Total  25 28 31
Rácio homem / mulher

32,0%

35,7%

29,0%

Face a 2015, em 2016, o peso manteve-se similar dos colaboradores do género feminino na REN. É de notar que este tem tido nos últimos quatro anos uma tendência crescente.

De facto, o compromisso assumido em 2014, com a adesão formal ao fórum IGEN – Fórum de Empresas para a Igualdade do Género, foi renovado em 2016, com a Empresa a desenvolver diversas iniciativas que irão permitir desenvolver uma cultura de reconhecimento da igualdade do género como pilar do desenvolvimento e sustentabilidade da REN.

É de salientar a aposta de aumento do numero de mulheres em funções de direção com um peso atual de 32%.

DISTRIBUIÇÃO DE COLABORADORES POR GRUPO PROFISSIONAL
GRUPO FUNCIONAL
'16 '15 '14

Direção

25 28 31

  Homens

17 18 22

  Mulheres

8 10 9

Gestão

45 46 48

  Homens

35 36 39

  Mulheres

10 10 9

Coordenação

19 19 25

  Homens

15 15 23

  Mulheres

4 4 2

Quadros Superiores

323

317

297

  Homens

233

 232 217
  Mulheres

90

85 80

Operacionais / Administrativos

196 210

240

  Homens

161 169 191

  Mulheres

35

41

49

Total 608 620 641

A estrutura organizacional da REN tem vindo progressivamente a ser alinhada com as novas necessidades e os desafios de negócio, verificando-se, especialmente nos últimos três anos, um aumento significativo do peso dos quadros superiores na organização.

DISTRIBUIÇÃO POR FAIXA ETÁRIA
(DIREÇÃO)
  '16 '15 '14

até 30 anos

0 0 0

de 30 a 50 anos

15 16 16

acima de 50 anos

10 12 15
Total 25 28 31
DISTRIBUIÇÃO POR FAIXA ETÁRIA
(GESTÃO)
  '16 '15 '15

até 30 anos

0 0 0

de 30 a 50 anos

31 34 31

acima de 50 anos

14 12 17
Total 45 46 48
DISTRIBUIÇÃO POR FAIXA ETÁRIA
(RESTANTES COLABORADORES)
  '16 '15 '14

até 30 anos

51 59 65
de 30 a 50 anos 319 311 307
acima de 50 anos 168 176 190
Total 538 546 562

Mantém-se a tendência de rejuvenescimento da estrutura de forma a preparar a organização para os seus desafios futuros. A população da REN encontra-se maioritariamente entre os 30 e 50 anos. 

QUALIFICAÇÕES ACADÉMICAS
GRUPO FUNCIONAL
'16 '15 '14

Doutoramento

3 2 2
  Homens 2 2 2
  Mulheres 1 0 0

Mestrado

101 94 81
  Homens 67 63 56
  Mulheres 34 31 25

Licenciatura

270 277 290
  Homens 188 195 109
  Mulheres 82 82 81
Bacharelato 14 14 17
  Homens 13 13 16
  Mulheres 1 1 1
Secundário 172 174 185
  Homens 151 149 157
  Mulheres 21 25 28
3º Ciclo 32 39 45
  Homens 26 30 34
  Mulheres 6 9 11
2º Ciclo 11 13 14
  Homens 9 11 11
  Mulheres 2 2 3
1º Ciclo 5 7 7
  Homens 5 7 7
  Mulheres 0 0 0
Total 608 620 641
  Licenciados 64% 62% 61%
  Não Licenciados 36% 38% 39%

A preparação para os desafios futuros tem passado também pelo aumento sustentado do nível das qualificações académicas. Em 2016, o peso dos colaboradores com licenciatura situa-se nos 64%. 

CONTRATAÇÃO
'16 '15 '14

Quadro Permanente

593

609

627

Contrato a Termo (Certo, Incerto e C. Serviço)

12 11 13

Estagiários profissionais

3 0 1
Total 608 620 641

A política de contratação da REN, bem como a consistência e maturidade da atividade, continua a refletir-se no tipo de relação contratual, sendo que a maioria dos colaboradores da REN são do quadro permanente.

Para além disso, e no seguimento das políticas adotadas, verifica-se que a taxa de retorno ao trabalho após licença de parentalidade é de 100%.

DESENVOLVIMENTO PESSOAL E PROFISSIONAL

PROGRAMA TRAINEE REN

O Programa Trainee REN é já um programa consolidado. Este é composto por estágios profissionais, académicos e de verão, tendo os estagiários sempre a oportunidade de desenvolver projetos específicos e que sejam criadores de valor para as áreas e formativos para os próprios.

No âmbito dos estágios profissionais em job rotation é lançado anualmente um desafio extra ao seu plano de estágio. Em 2016, este desafio focou-se novamente num dos três eixos do Programa Nós, o eixo da igualdade. Sob o mote da igualdade de género, e pela dificuldade ainda presente de recrutar colaboradores do género feminino nas áreas de engenharia, foi concebido e implementado um plano destinado a desmistificar, junto dos e das mais jovens, a ideia de que a área das Engenharias é um território exclusivamente masculino. O lema foi: “O talento não tem género!”. 

Neste desafio, visitaram-se quatro escolas secundárias nas quais se realizaram ações de sensibilização dirigidas aos alunos e alunas da área de ciências, onde as estagiárias da REN explicaram as suas funções e por que razões optaram por estudar engenharia.

 

INDICADORES
'16
Estágios profissionais 11
Estágios académicos 20
Estágios de verão 11
Total 42

PROGRAMA VIVA

O Programa VIVA da REN (Acolhimento e Integração), para além de dar um conhecimento geral sobre a empresa, os seus valores, missão, áreas de negócio, promovendo assim, uma identificação mais rápida com a REN, proporciona network entre os novos e antigos colaboradores. Em 2016 renovou-se a imagem e o kit de acolhimento dos novos colaboradores. 

INDICADORES
'16
Nº Sessões 2

Taxa de Satisfação (%)

99%

CAMPUS REN

O Campus REN teve origem em 2016, mas o seu início remonta a 2011. Nesse ano, definiu-se a política de formação da empresa com a introdução da formação transversal, o que, por sua vez, deu origem a um conjunto de programas vocacionados para o desenvolvimento de competências. No ano seguinte, introduziu-se o formato e-learning, ferramenta essencial para chegar às centenas de colaboradores da REN que estão espalhados pelo país.
Em 2013, tiveram início uma série de ações direcionadas para o desenvolvimento de potencial, como foi o caso do Programa Geral de Gestão, do Energy Academy, dos Programas de Mentoring e de Coaching, bem como dos Encontros REN, para o qual é convidado um orador de referência e onde são sobretudo abordados temas ligados à estratégia, gestão e liderança.

Foi com base neste histórico que a REN decidiu avançar para um novo modelo que agrega sob um único "chapéu" tudo o que respeita a formação. Pensado já há algum tempo, este foi o momento certo para o concretizar o Campus REN que carrega um histórico muito importante em matéria de formação, mas que procura ao mesmo tempo responder a desafios futuros. Este novo conceito é ainda mais relevante pela natureza da própria atividade, que obriga a uma atualização de conhecimentos constante, bem como à necessidade de adaptação aos desafios que vão sendo colocados ao setor. 

O Campus REN apresenta-se assim como o modelo de formação da REN dedicado ao desenvolvimento integral do capital humano, tendo como missão oferecer valor acrescido e diferenciador na gestão do conhecimento, através da criação de programas de formação transversais e estratégicos alinhados com a estratégia e o negócio da empresa, sendo o seu grande objetivo potenciar o crescimento e consolidação do negócio através do desenvolvimento das pessoas, com uma oferta diferenciada e direcionada à correta gestão do capital intelectual e à transferência contínua do conhecimento.

A Formação Transversal subdivide-se em diferentes escolas formativas. Tem-se como exemplo as escolas de Gestão, Liderança, Comunicação e Técnica. Nesta última, foi desenvolvida uma bolsa de formadores internos com uma importância fulcral na transferência de conhecimento e retenção de know-how

Ainda a destacar dentro do Campus REN:

    • Os Encontros REN, uma iniciativa com três anos, e que assume agora novos formatos, mais abrangentes e com maior diversidade de parceiros e formatos, onde personalidades de referência têm a oportunidade de partilhar a sua experiência e percurso em função dos temas a serem analisados 
    • A Formação Específica que decorre nas necessidades específicas dos colaboradores para desempenharem adequadamente as funções atuais ou futuras

Esta clara aposta numa estratégia holística, que procura dar resposta às diversas necessidades dos colaboradores, tem sido também reconhecida externamente a julgar pelos diversos prémios e distinções com que a REN foi reconhecida em 2016.

FORMAÇÃO
'16 '15 '14

Nº de Horas de Formação

27. 009

18.644

29.939

Nº de Participantes

2.792

3.031

2.883

Nº de Horas de Formação por colaborador

43,8

29,3

45,4

Nº médio de colaboradores

617

637

659

ÁREA DE FORMAÇÃO
(Nº DE HORAS)

 

 

'16 '15 '14

Comportamental

7.166

544

1.542

Técnica

13.015

14.661

23.768

QAS

3.316

1.882

1.413

Gestão

3.513

1.558

3.217

Total
27.009
18.644
29.939
GRUPO FUNCIONAL 
(Nº DE PARTICIPANTES)
  '16  '15 '14

Comportamental

605

125

340

 

Técnica

1.434

 2.086  1.762

QAS

420

562 242 

Gestão

333 258 539
TOTAL
2.883 3.031
2.792
GRUPO FUNCIONAL
(Nº DE HORAS)
  '16 '15 '14

Direção

1.618

928

1.639

Gestão

3.163

1.135

3.106

Coordenação

490

555

1.398

Quadros Superiores

16.091

10.436

16.493

Operacionais/Administrativos

5.647,0

5.590,0

7.303,1

Total
27.009
18.644
29.939

PROGRAMA STAR - GESTÃO DO DESEMPENHO 

O ano de 2016 foi um ano de continuidade na implementação do modelo de gestão de desempenho. Numa perspetiva de melhoria contínua e de recolha de feedback pelos seus principais utilizadores, iniciou-se um projeto de avaliação dos impactos das alterações introduzidas em 2014 e da necessidade de introduzir eventuais ajustes em 2017, com o objetivo de continuar a potenciar uma cultura de meritocracia, diálogo e feedback. 

INDICADORES
  STAR '15

Nº de Colaboradores abrangidos

617

% Avaliações concluídas

100%

Média – Avaliações Finais Competências

3,88

Média – Avaliações Finais Objetivos

4,00

% Prémios calculados face ao nº avaliados

99,5%

DIÁLOGO SOCIAL E BENEFÍCIOS 

O ano de 2016 foi um ano de estabilização na aplicação do novo ACT e de toda a regulamentação interna em matéria de recursos humanos. Potenciando o diálogo entre a gestão e as estruturas representativas dos colaboradores, realizaram-se reuniões com as principais estruturas sindicais e comissão de trabalhadores visando o debate de matérias de interesse geral e setorial. 

Decorrendo do diálogo e acordo estabelecido, foi aplicado um incremento geral de 1,3%, transversal a todos os colaboradores abrangidos pelo ACT REN.

A taxa de sindicalização da REN é de 41,0%.

  '16 '15 '14

% Colaboradores Sindicalizados

41,0%

42,4%

45,1%

% Colaboradores ACT no Ativo

98,5%

99,2%

52,0%

Colaboradores Sindicalizados

249

263

289

Colaboradores ACT

599

615

333

A política de benefícios da REN, centrada no apoio aos seus colaboradores em áreas importantes da sua vida familiar e pessoal, integra um conjunto de apoios e benefícios adicionais no campo da saúde, da educação e da cultura, entre outros. 

No ano de 2016 procedeu-se à avaliação do programa de benefícios flexível REN Flex, introduzido em 2015, que veio demonstrar elevados níveis de satisfação dos colaboradores. 93% da população está satisfeita ou muito satisfeita com o Plano REN Flex e 98% acha que este plano contribuiu para a construção de um pacote de benefícios mais ajustado às suas necessidades.

Ainda assim, e numa lógica de continuar a sustentar o acesso a um conjunto de benefícios e vantagens adaptados a cada etapa de vida do colaborador com condições únicas, as áreas de benefícios do programa (reforma, saúde & riscos, dia-a-dia) foram complementadas com dois benefícios adicionais – a possibilidade de comparticipação de formação e a possibilidade de descontos adicionais para um plano de pensões. 

 

BENEFÍCIOS COLABORADORES COM REGIME TRANSITÓRIO DO ANTERIOR ACT(1) COLABORADORES COM PLANO FLEX(2)
COLABORADORES COM CONTRATO INDIVIDUAL DE TRABALHO(3)

Seguro de Vida

  X X

Seguro de Acidentes Pessoais

X X X

Plano de Saúde

X X X

Plano de Pensões

X X  

Eletricidade
a Preços reduzidos

X    

Subsídio de Estudo

X    

Vouchers Educação e Infância

  X  

Passe Social

  X  

Formação

  X  

SEGURANÇA E SAÚDE

A consciência de que um ambiente seguro e saudável constitui um fator determinante para a satisfação das várias partes interessadas conduz ao compromisso da REN numa gestão eficaz da segurança e saúde no trabalho.

O sistema de gestão da segurança e saúde no trabalho está certificado por uma entidade acreditada e abrange a grande maioria das empresas do grupo. O seu principal objetivo é prevenir a ocorrência de acidentes e doenças profissionais que envolvam quer os trabalhadores da empresa, quer os trabalhadores dos empreiteiros e dos prestadores de serviços que com a REN colaboram.

SEGURANÇA

A REN considera que o seu principal ativo são as pessoas, pelo que não considera aceitável a existência de riscos com um nível de severidade elevado para a saúde e segurança dos seus trabalhadores, bem como dos trabalhadores dos seus empreiteiros e prestadores de serviços, obrigando-se a desenvolver ou promover todas as medidas de prevenção ou mitigação desses riscos que estejam ao seu alcance.

Com o objetivo de combater a sinistralidade são implementadas políticas, seguidos procedimentos de segurança e asseguradas as melhores práticas nesta matéria, nomeadamente através da realização de inúmeras ações de formação e de rigoroso acompanhamento das atividades desenvolvidas de forma a garantir um exigente controlo operacional. A análise dos acidentes ocorridos permite que se proceda a uma reavaliação dos riscos inerentes às atividades em que aqueles ocorreram.

Os dados apurados relativos a 2016 foram os seguintes:

EMPRESA Nº MÉDIO* DE TRABALHADORES  Nº DE HORAS TRABALHADORAS  Nº DE ACIDENTES MORTAIS  Nº DE ACIDENTES NÃO MORTAIS 
Nº DE DIAS PERDIDOS

Género(M/F)

 M F M F M F M F M F

REN Rede Eléctrica

203 27 

363.538

39.105

0

0

1

0

0

0

REN Serviços

119

83 202.508 134.327 0 0 4 1 0 7

REN Gasodutos

83

11

142.376 17.317 0 0 1 0 40

0

REN Atlântico

28 3

51.659

5.114 0 0 0

0

0 0

REN Armazenagem

5 1

8.860

1.506 0 0 0 0 0 0

REN Trading

6 10.091 3.451 0 0 0 0

0

0

RENTELECOM

 3 5.121 0 0

0

0 0 0 0

Enondas

1 1.733 0 0 0 0 0 0

REN SGPS

21 21  37.837 36.133 0 0 0 0 0 0

RD Nester

13 22.373 3.340

0

0 0 0 0
Total Prestadores de Serviço e Empreiteiros 902 110 

1.875.833

228.875

0 0 0 0

ÍNDICE DE INCIDÊNCIA

Legenda: O índice de gravidade total de 2016 foi de 204,3.

ÍNDICE DE GRAVIDADE

Legenda: O índice de gravidade total de 2016 foi de 204,3.

Tanto o índice de gravidade da REN (IGMasculino – 47,28/IGFeminino – 29,13) como o índice de incidência (IIMasculino – 12,47IIFeminino – 6,63) tiveram melhorias face a 2015, motivado pela redução em metade do número de acidentes e dos dias perdidos associados (-228).

Os índices de incidência (IIMasculino – 13,31/IIFeminino – 18,18) e de gravidade (IGMasculino – 229,23/IGFeminino – 0) afectos aos empreiteiros e prestadores de serviços melhoraram, fruto de uma redução do número de acidentes (-13) e do número de dias perdidos (-177).

Em 2016, aproximadamente 30% dos empreiteiros e prestadores de serviços da REN tinham sistemas de gestão de segurança implementados e certificados, segundo a norma OHSAS 18001/NP 4397.

Durante o ano de 2016, a REN promoveu a realização de ações de formação e sensibilização em segurança a todos (100%) os seus empreiteiros e prestadores de serviços, envolvendo um total 178 empresas.

Com o objetivo de cumprir a legislação específica que estipula a realização periódica de simulacros, determinar a eficácia dos procedimentos de resposta a emergências, e identificar desvios e oportunidades de melhoria, complementar a instrução e formação de todos os intervenientes e garantir o cumprimento das exigências normativas enquanto grupo de empresas certificadas, em 2016 foram realizados simulacros nas instalações do Carriço e do Terminal de GNL em Sines.

Mais informação sobre este tema pode ser consultada no sítio da internet da REN5.

5 www.ren.pt – REN>sustentabilidade>Partes Interessadas>Recursos Humanos>Segurança

SAÚDE

Para a REN é fundamental assegurar que os colaboradores dispõem das melhores condições para o cumprimento das suas funções e que os padrões de saúde no trabalho são cumpridos. Como tal, a REN utiliza o conceito de saúde no trabalho adotado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), como "um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não somente ausência de afeções e enfermidades".

Consequentemente a REN aposta em três pilares fundamentais e interligados na área da saúde: medicina no trabalho, medicina curativa e diversas iniciativas de saúde e bem-estar. Esta abordagem pretende conciliar a obrigatoriedade legal da medicina no trabalho com a medicina curativa e várias ações com o objetivo de garantir que os nossos colaboradores vivem e trabalham melhor e com mais saúde.

Os objetivos deste programa são:

    • Proporcionar locais de trabalho saudáveis através da criação de condições que proporcionem saúde e bem-estar;
    • Fazer um diagnóstico das situações;
    • Fornecer conhecimentos e competências às pessoas e famílias para potenciar/criar estilos e hábitos de vida saudáveis;
    • Partilhar a responsabilidade com as entidades de saúde e com as pessoas na gestão da saúde.

No âmbito da medicina do trabalho, a REN proporciona a todos os colaboradores a realização de exames e análises clínicas complementares, de forma a possibilitar uma ação preventiva ao nível da saúde dos seus colaboradores.

 

 

'16 '15 '14

Nº de atos auxiliares de diagnóstico (por bateria de exames)

596

390

548

Nº Atos Médicos

589

401

573

Nº Atos de enfermagem (por bateria de exames)

580

390

548

Visitas do médico aos locais de trabalho

 8 7  

A REN reconhece que criação de hábitos saudáveis e o diagnóstico de saúde traduzem-se numa mais-valia para os stakeholders da Empresa.

Ainda para além das diversas iniciativas internas, todos os colaboradores da REN estão abrangidos por um plano de saúde individual extensível ao seu agregado familiar.

Em resultado das diferentes iniciativas, a taxa de absentismo decresceu para 2,1%.

  '16 '15 '16

Taxa de Absentismo

2,1%

2,3%

2,6%

nos.jpg

PROGRAMA NÓS

O Programa NÓS REN mantém os seus três eixos de atuação:

Equilíbrio, Igualdade e Inclusão. O ano 2016 ficou mais uma vez marcado pelo reconhecimento externo, tanto do programa em si como dos impactos que este teve ao nível da melhoria da qualidade de vida e satisfação dos colaboradores. Neste seguimento, foram atribuídos à REN os seguintes prémios: 2º lugar nos Prémios Healthy Workplaces - Locais de Trabalho Saudáveis, na categoria Grandes Empresas, promovido pela Ordem dos Psicólogos; e Prata nos Best in Biz Awards 2016, na categoria Best Place to Work.

Para além das iniciativas de continuidade que se mantiveram, como é o caso dos workshops, das consultas de psicologia e nutrição, rastreios e vacinação, do prémio de mérito escolar, das ofertas de casamento e de nascimento, dos estágios de inclusão, entre outras, o ano 2016 ficou mais uma vez marcado pelo desenvolvimento do eixo igualdade, através do desafio levado a cabo pelo grupo de trainees REN de 2015/2016. 

INDICADORES
  '16
Nº de Iniciativas 29
Nº de Participações 174

APOIO À COMUNIDADE

RELACIONAMENTO COM A COMUNIDADE 

O apoio às comunidades locais é um dos pilares da estratégia de sustentabilidade. Nesse sentido, a REN promove o envolvimento com as comunidades onde está inserida, numa lógica de desenvolvimento das populações que mais interagem com as infraestruturas da empresa.
Para este efeito, a REN desenvolve planos de comunicação adequados a cada realidade local, dinamiza reuniões com autarquias locais e outros stakeholders, em estreita coordenação com as áreas operacionais da empresa.

Uma das ações que refletem este envolvimento é o projeto MEDEA, uma iniciativa da SPF - Sociedade Portuguesa de Física e da REN destinada a promover o conhecimento da física junto dos estudantes do ensino secundário. O MEDEA incentiva os alunos participantes a elaborar um projeto científico baseado na comparação de medições de campos elétricos e magnéticos de muito baixa frequência (0-300 Hz) no meio ambiente, em particular, na sua escola, em casa e na vizinhança de linhas de transporte de energia elétrica, e a procurar informação cientificamente credível sobre os eventuais efeitos destes campos na saúde humana. O projeto MEDEA já envolveu mais de 1000 alunos, 187 escolas e cerca de 170 professores. Em 2016, atingiu níveis-recorde, envolvendo mais de 500 alunos de todo o país. Para a sua 7ª edição, o MEDEA contou ainda com o maior número de equipas inscritas de sempre, cerca de 100, mais do dobro do que em 2015, representando 57 instituições de ensino portuguesas.

Outro exemplo é a iniciativa Heróis de Toda a Espécie que teve o seu início em setembro de 2016. Trata-se de ação dirigida a crianças do 3º e 4º anos do 1º ciclo do ensino básico, com o apoio do Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas, da Direção-Geral da Educação e com o acompanhamento técnico da Quercus. O objetivo é o de sensibilizar as comunidades para a proteção da biodiversidade, preservação da floresta portuguesa e conservação das espécies animais e vegetais ameaçadas ou em vias de extinção.
Em 2016, esta iniciativa esteve presente em oito localidades do país e envolveu cerca de 750 alunos e 25 professores. No primeiro ano, o Heróis de Toda a Espécie foi distinguida com uma menção honrosa na categoria "Comunidade" nos prémios Reconhecimento Práticas de Responsabilidade Social (APEE – Associação Portuguesa de Ética Empresarial). 

No âmbito da reconversão das faixas de servidão de linhas elétricas, a REN promoveu ainda uma ação de reflorestação com alunos e professores de escolas do concelho de Vila Verde, sob o lema “Juntos plantamos o amanhã” e duas ações com a imprensa local (Castelo Branco e Póvoa de Lanhoso).
O objetivo foi a sensibilização para as melhores práticas que a adoção de abordagens mais ativas da gestão da vegetação existente nas faixas de servidão podem trazer benefícios ao nível da redução dos custos de manutenção, no aumento dos ciclos de intervenção e na corresponsabilização dos proprietários.

No âmbito da construção das infraestruturas da empresa, foram também doadas, em 2016, a autarquias e corporações de bombeiros, sete veículos todo o terreno para serem usados pela comunidade e sapadores florestais, com o objetivo de vigiar e prevenir os fogos florestais. 

 

Proprietários 

Em 2016 foram contactados 14.400 proprietários de terrenos já atravessados ou a atravessar pelas nossas redes de transporte de eletricidade. Foram também adquiridas 31 propriedades para a instalação de novas infraestruturas elétricas e de gás natural e foram ainda concluídos 1.682 processos de indemnização a proprietários que representaram um investimento de 6 milhões de euros. Com a inclusão de novos proprietários derivados das novas infraestruturas construídas, a base de dados de proprietários da REN continha, no final de 2016, cerca de 74.000 registos, o que, por si só, evidencia a importância deste grupo de partes interessadas da empresa, tendo em consideração a reduzida dimensão da área geográfica do país em comparação com a maior parte dos países europeus.

Há que referir que o estabelecimento de acordos compensatórios para o estabelecimento de servidões nem sempre é fácil, pelo que a REN se vê obrigada, por vezes e em nome do interesse coletivo, a recorrer aos mecanismos de desbloqueio de impasses previstos na legislação, nomeadamente o processo de intimação, no caso das linhas elétricas.
Em 2016 a REN teve de recorrer a estes mecanismos apenas por seis vezes em novos projetos de linhas elétricas de transporte de eletricidade, o que compara com um universo de 2.126 proprietários contactados para este efeito.
Dos 2.126 contactados para a instalação de novas infraestruturas, 1.682 tiveram os seus processos de indemnização concluídos. A REN atua sempre procurando compatibilizar quer a instalação quer a exploração das suas infraestruturas com os legítimos interesses das outras partes interessadas.

Mais informação sobre este tema pode ser consultada no sítio da internet da REN.

INOVAÇÃO, INVESTIGAÇÃO E TECNOLOGIA

As atividades de Investigação, Desenvolvimento e Inovação são encaradas pelo Grupo REN como uma alavanca para o encontro de soluções diferenciadoras para o exercício pleno da sua atividade com impacto na performance das Redes Energéticas Nacionais.

Durante 2016, destaca-se o desenvolvimento de projetos de I&D nas duas áreas de negócio principais, a Eletricidade e o Gás, nomeadamente nas empresas do Grupo REN que atuam como Operadores de Transporte de Eletricidade e Gás em Portugal - Rede Elétrica Nacional, S.A e a REN Gasodutos, S.A.

Ciente do papel ativo na inovação e desenvolvimento tecnológico do setor onde se insere, inerente à sua área de atuação e aos desafios atuais e futuros no Setor Energético, a REN desenvolve internamente atividades de I&D, bem como em cooperação com outras empresas congéneres e instituições académicas.

Neste contexto, destaca-se o trabalho desenvolvido pelo Centro de Investigação – R&D NESTER7 para o desenvolvimento de quatro Projetos de I&D, com enfoque nas seguintes áreas: Gestão de Energias Renováveis; Simulação de sistemas de potência; Tecnologia de redes inteligentes; Gestão e Operação de Redes; Mercados e economia da energia. Todas estas áreas tiveram significativos avanços apresentados em 2016.

 

Investimento em I&D

Em 2015, o investimento verificado com atividades de I&D nas empresas do Grupo REN, nomeadamente na Rede Elétrica Nacional, S.A. e REN Gasodutos, S.A., totalizou um montante de 790 mil euros 8. 

No Centro de Investigação em Energia REN-State Grid, S.A., o valor desse investimento ficou próximo dos 2 milhões de euros.

De acordo com dados apurados até ao momento, estima-se que em 2016 se tenha efetuado um investimento na mesma ordem de grandeza.

Os valores reportados resultam de despesas relacionadas com atividades internas e externas, decorrentes do desenvolvimento de vários projetos desenvolvidos internamente e/ou em cooperação com entidades nacionais e internacionais, incluindo instituições académicas reconhecidas pelo sistema científico e tecnológico nacional.

No caso particular do R&D Nester, acresce ainda outros custos associados com a conclusão do laboratório iniciado no âmbito de dois projetos em curso,e que vem dotar o centro e a REN de equipamentos de simulação para redes de eletricidade.

7 Empresa participada do Grupo REN, criada em 2013 em resultado do acordo assinado entre a REN - Redes Energéticas Nacionais e o CEPRI - China Electric Power Research Institute (em representação da State Grid International Development).
8 Valores reportados ao Ministério da Educação e Ciência (MEC) no âmbito dos inquéritos ao potencial cientifico nacional, de resposta obrigatória.

DESTAQUES 

No âmbito das atividades de I&D desenvolvidas na REN, tem-se verificado um aumento da partilha de conhecimento e processos de aprendizagem através da envolvência em projetos transversais ao Grupo REN, juntando sinergias entre os setores de eletricidade e gás. Exemplo disso são os projetos de I&D que constituíram as ultimas candidaturas efetuadas pela REN ao SIFIDE9, respeitantes ao exercício fiscal de 2015.

 

Projetos de I&D internos

    • Na unidade de negócio de eletricidade, os projetos de I&D tiveram enfoque no desempenho de linhas em serviço da RNT e respetivo impacto ao nível da qualidade de serviço:
      • Desempenho de linhas em serviço da RNT face a descargas atmosféricas - Projeto desenvolvido em parceria com o Labelec, tem como objetivo estudar quais os fatores relevantes que influenciam as consequências das descargas atmosféricas, de modo a determinar a existência de zonas concentradas da rede mais sensíveis em termos de descargas atmosféricas. Uma vez identificadas, é também objeto deste projeto investigar eventuais possíveis soluções para minimizar o seu impacto ao nível da qualidade de serviço.
    • Na unidade de negócio de gás, os projectos de I&D tiveram enfoque na eficiência energética nas instalações de armazenamento subterrâneo de gás:
      • Melhoria substancial da eficiência energética de instalações de armazenamento subterrâneo de gás - Com este projeto, pretende-se investigar e simular a viabilidade técnica de um novo conceito a nível mundial, o Compressed Gas Energy Storage (CGES), avaliando as suas potencialidades no que se refere à promoção da eficiência energética em processos de extração.
      • Solução dinâmica de análise do teor odorante - Desenvolvimento de uma nova metodologia de determinação de Tetrahydrothieophene (THT), por via da aplicação prática de algoritmos que permitam calcular o teor de THT existente em cada ponto de rede (em função dos fluxos de gás), possibilitando, por esta via, o alcance de níveis de eficiência significativos no processo de odorização, bem como na redução das emissões de dióxido de enxofre (SO2) .
    • Em parceria com o R&D Nester, a REN colabora no desenvolvimento de quatro projetos de I&D, mais à frente descritos em detalhe. A saber:
      • Despacho de energia renovável;
      • Subestação do futuro;
      • Armazenamento de energia;
      • Simulação, planeamento e operação de redes de energia elétrica.

 

Projetos de I&D em parceria com outras entidades internacionais

Como exemplo de projetos europeus a decorrer em que a REN participa, destacamos o caso do projeto o EUPORIAS (2012-2017) - European Provision Of Regional Impacts Assessments on Seasonal and Decadal Timescales. Trata-se de um projeto financiado pelo 7º programa-quadro europeu (FP7), coordenado pela MET Office (UK) e que conta com o envolvimento de 24 participantes entre os quais a REN, como Stakeholder.

Este projeto tem por objetivo explorar o valor de previsões meteorológicas sazonais e por décadas na Europa. Através do acesso a esta informação, o projeto visa desenvolver metodologias para fazer uso de tais previsões, de uma forma adequada e a ser aplicável em diferentes setores fundamentais da economia nacional, claramente expostos a fatores meteorológicos, embora com diferentes níveis de sensibilidade. 

Website: http://www.euporias.eu/

9 SIFIDE - Sistema de Incentivos Fiscais à Investigação e Desenvolvimento nas Empresas

RD_NESTER_2.jpg

DESTAQUES R&D NESTER 

Para o R&D Nester, o ano de 2016, em particular, ficou marcado pela consolidação do plano estratégico de desenvolvimento elaborado aquando da criação deste centro de I&D, com especial relevância para os avanços significativos dos quatro projetos de I&D internos iniciados em 2013, cujos resultados têm vindo a ser reconhecidos pela comunidade técnico-científica. A este nível, destaca-se: 

    • As publicações de papers e artigos em revistas cientificas; 
    • As apresentações em varias conferências nacionais e internacionais; 
    • A submissão de três pedidos provisórios de patentes;
    • A aplicação prática de alguns resultados; 
    • A criação de um laboratório - Real Time Power Systems Simulation Laboratory.

Estas e outras informações adicionais sobre as atividades desenvolvidas no R&D Nester, podem ser consultadas em www.rdnester.pt.

 

Projetos de I&D internos

‘Despacho de Energia Renovável’ – Tem como principal objetivo implementar novas ferramentas que poderão ser usadas pelos operadores de sistema de forma a gerir altos níveis de penetração das energias renováveis, tais como a solar e a eólica, ajudando a mitigar o seu caráter variável e intermitente.

O trabalho realizado contribui fortemente para a gestão do risco inerente a altos níveis de penetração de energia renovável no sistema elétrico, fornecendo ferramentas práticas para os operadores de rede e sistemas.

Alguns dos resultados obtidos já se encontram em operação, nomedamente uma nova ferramenta para previsão de produção de energia solar fotovoltaica .

Também como resultado do trabalho realizado, o R&D Nester publicou ainda diversos artigos, apresentados em eventos internacionais, tais como:

    • Ensemble-Based Estimation of Wind Power Forecast Uncertainty, EEM15 - 12ª Conferência Internacional do Mercado Europeu da Energia, mai/15;
    • Improvements in wind power forecast, IO15 - XVII Congresso da APDIO, set/15;
    • Wind power forecast uncertainty using dynamic combination of predictions, DEMSEE 2015, set/15;
    • Wind power forecast uncertainty using dynamic combination of predictions, publicação no Periodical Polytechnica Electrical Engineering and Computer Science, 59(3), pp. 78-83, ago/15;
    • Probabilistic dimensioning of tertiary control reserve driven by the intermittency of renewable generation in Portugal, Cigré Session 46, Paris, ago/16.

Armazenamento de Energia - Este projeto do R&D Nester teve como principal objetivo o desenvolvimento de uma metodologia multi cenário e multi atributo para o planeamento de armazenamento de energia em redes de transmissão de eletricidade.

O trabalho realizado nos últimos três anos proporcionou uma forte contribuição para a compreensão dos múltiplos papéis potenciais do armazenamento de energia no sistema elétrico, bem como as tecnologias envolvidas e suas principais caraterísticas. Este projeto contribuiu também com o desenvolvimento de uma metodologia e de uma ferramenta próprias para o planeamento de armazenamento de energia, que permitem a comparação de diferentes tecnologias e soluções que podem ser utilizadas pelos operadores de rede ou outros atores do setor energético para o planeamento das suas infraestruturas, incluindo soluções de armazenamento de energia.

 

Em resultado do trabalho realizado, o R&D Nester publicou ainda dois artigos, apresentados em eventos internacionais, tais como:

    • Planning Energy Storage in Power Transmission Networks, IEEE Green Energy and Systems Conference 2014, California, EUA, Nov/14;
    • Siting and Sizing Dispersed Energy Storage in Power Transmission Networks, IEEE Green Energy and Systems Conference 2015, Califórnia, EUA, Nov/15.

Substação do futuro - Visa definir e demonstrar um novo conceito de sistemas secundários de subestação, a saber, proteção, automação, controlo, monitorização e contagem, que podem ser adotados pelas concessionárias de redes de transporte, através de uma investigação que resultará numa plataforma de testes em tempo real, para futuras subestações de geração Smart +. Uma nova visão e especificações técnicas foram definidas e desenvolvidas, com base numa alta fiabilidade, criatividade, escalabilidade, interoperabilidade, normalização, requisitos e fundamentos de fácil gestão e manutenção, baseados em normas internacionais e plataformas avançadas de TIC (tecnologias de informação e comunicação), proporcionando a otimização de custo-benefício ao longo de toda a vida útil dos ativos da rede de transporte. Os resultados deste projeto proporcionam à REN uma perspetiva de subestações mais eficientes e com funcionalidades adicionais nos seus desenvolvimentos futuros.

 

No âmbito deste projeto, foram publicados e apresentados em eventos internacionais os seguintes artigos:

    • A joint research on the substation of future between Portugal and China, Advanced Power System Automation and Protection Conference, Nanjing, China, Abr/15;
    • Enhanced testing platform for the Smart Substation, PAC World Conference,Ljubljana, Eslovénia, Jun/16;
    • Integrated Simulation Model of Power System Protection Schemes and Process Bus Communication Networks, Electrical Power and Energy Conference, Ottawa, Canadá, Out/16;
    • Using the IEC 61850 formal description capabilities towards a vendor-independent PAC specification, CIGRE Joint Colloquium ‘Building Smarter Substations’, Cidade de Mexico, México, Nov/16.

Simulação, planeamento e operação de redes de energia elétrica - Este projeto visa responder a duas necessidades de infra estrutura: por um lado a necessidade de um simulador com capacidade de cálculo para a simular no domínio do tempo as diversas interações que existem, envolvendo, por exemplo, sistemas de controlo e de proteções, e por outro investigar e melhorar a interface atualmente existente entre operadores de rede de transmissão e distribuição tendo em consideração as disposições regulamentares entretanto publicadas pela Comissão Europeia com vista a promover uma maior cooperação TSO/DSO (ex: troca de informação em tempo real) num cenário de crescente presença de fontes de geração distribuídas. 

 

Em resultado do trabalho realizado, o R&D Nester publicou e apresentou em eventos internacionais os seguintes artigos:

    • TSOs and DSOs Collaboration: The Need for Data Exchange, 10th Jubilee International Conference on Deregulated Electricity Market Issues in South Eastern Europe (DEMSEE’15), Budapest, Hungary, Set/15;
    • Improving Power System Operation in the Presence of RES, IO’15- XVII APDIO Congress, Set/15;
    • Wind Power Curtailment Optimization for Day-Ahead Operational Planning, IEEE PES Innovative Smart Grid Technologies Europe Conference, Ljubljana, Eslovénia, Out/16.

No âmbito deste projeto e do projeto Smart Substation, destaca-se em 2016 a criação de um laboratório - Real Time Power Systems Simulation Laboratory - com equipamento de elevada capacidade computacional para simulação, análise e estudo de redes, nas suas vertentes de sistemas de potência e de comunicações, e com potencialidades para proceder à análise de sistemas de energia em tempo real.

PROJETOS DE I&D EM PARCERIA COM OUTRAS ENTIDADES INTERNACIONAIS 

    • ISSWINDEMO
      Integrated Supporting Services for the Wind Power Industry Demonstrator – Projeto de demonstração, financiado pela ESA (European Space Agency), iniciado em março de 2016 e com a duração de dois anos. Surge na continuação do projecto ISSWIND, cuja 1ª parte - feasibility study - já se encontra concluída.

      Tem como objetivo a exploração de tecnologia aeroespacial para observação da Terra e de um sistema de navegação global por satélite, com vista ao desenvolvimento de serviços de suporte comercialmente viáveis para a indústria de energia eólica. Tendo em conta as necessidades dos vários stakeholders desta indústria, incluindo operadores de transporte de eletricidade entre outros, o projeto de demonstração ISSWINDEMO visa fornecer uma solução integrada de quatro serviços: Wind resource maps; Wind and wave hindcast databases; Weather and ocean forecasting; Wind power forecasting

      A contribuição do R&D Nester como partner neste projeto de demonstração é sobretudo fornecer drivers de inovação comercial e tecnológica para a solução integrada do ISSWIND, atentos a que a caraterística fundamental subjacente aos serviços ISSWIND é a assimilação de dados produzidos por satélites de observação da Terra e o sistema de satélite de navegação global, com vista a melhorar a qualidade do serviço, ou seja, a cobertura de áreas offshore e o erro de previsão de tempo e as previsões de geração de produção alimentar.

      Website

      Os potenciais benefícios para a REN são relativos à eventual melhoria da previsão dos recursos renováveis e consequente optimização da operação e gestão da REN, como minimização de riscos.
    • SusCity
      Modelação de sistemas urbanos para a promoção de transições criativas e sustentáveis, projecto colaborativo financiado pela FCT (via MIT- Portugal) e por um conjunto de entidades privadas. Iniciou-se em janeiro de 2015 e tem uma duração prevista de três anos.

      O projeto pretende catalisar a geração e proliferação de intervenções urbanas dimensionáveis através do desenvolvimento e implementação de um simulador de sistemas urbanos multidimensionais e painel de instrumentos (USD). Ao mesmo tempo, a visualização e comunicação de dados é essencial, os modelos urbanos irão fornecer a capacidade de idealizar cenários alternativos para novos serviços e produtos, alicerçados numa ciência urbana rigorosa. Para alcançar estes objetivos, a equipe propõe, a par de uma simulação multidimensional com modelação urbana em tempo real, através de software e hardware de recolha de dados urbanos. 

Website

Os potenciais benefícios para a REN são uma melhor compreensão das implicações dos conceitos associados a smart cities na gestão de rede, permitindo assim uma mais adequada preparação para cenários futuros.

    • SmartNet (H2020-LCE-06-2015)

SmartNet - Smart TSO-DSO interaction schemes, market architectures and ICT Solutions for the integration of ancillary services from demand side management and distributed generation.

Projeto financiado pelo programa europeu Horizonte 2020, coordenado pela RSE, conta com a participação de 22 parceiros (da academia, indústria e organizações de I&D) de nove países europeus. Iniciou-se em 2016 e tem a duração de três anos. O R&D Nester faz parte do Advisory Board.

O projeto SmartNet visa fornecer ferramentas otimizadas e metodologias para melhorar a coordenação entre os operadores de rede a nível nacional e local (respetivamente os TSO e DSO) e o intercâmbio de informações para monitorização e para a aquisição de serviços auxiliares (reserve and balancing, voltage balancing control, congestion management) pelas entidades localizadas no segmento da distribuição (flexible load and distributed generation).

Website

    • BigDataOcean 

Projeto aprovado em 2016 no âmbito do programa europeu Horizonte 2020. O R&D Nester é membro de consórcio, junto com outras entidades tanto industriais como académicas provenientes da Grécia, Reino Unido, Portugal, Itália, Chipre e Israel.

Este projeto, a iniciar em 2017, terá a duração de 30 meses e tem como principal objetivo a criação de uma plataforma que englobe cenários de big data para empresas, organizações e comunidade científica da UE, tendo como fundo a caraterização do recurso associado aos oceanos.

A plataforma desenvolvida irá conter dados de diferentes volumes, variedade e origens, ligados através de um motor multilingue que permitirá a criação de um repositório de dados em grandes quantidades cujo valor e veracidade poderá ser aproveitado pelos participantes e comunidades em geral. 

A contribuição do R&D Nester tem foco nos tópicos e aplicações relacionados com energia, previstos pelo projeto. 

Website

 

Outras atividades transversais que decorreram no R&D Nester ao longo de 2016:

    • Apresentação de candidaturas ao programa de financiamento europeu Horizonte 2020 e Portugal 2020
    • Submissão de candidaturas ao SIFIDE para o exercício fiscal de 201510
    • Manutenção do sistema de gestão de IDI, certificado do R&D Nester certificado pela norma NP4457 - Investigação, desenvolvimento e inovação;
    • Continuação das sessões temáticas de divulgação e trabalho com as equipas técnicas dos acionistas e intituladas de Innovation Hour
    • Continuação do estabelecimento de uma rede de inovação com entidades congéneres e relacionadas, nacionais e internacionais, nomeadamente, Universidade de Aalborg, o Laboratório Nacional de Energia e Geologia, o EnergyIn, o Institute of Power Systems - North China Electric Power University, School of Electrical and Electronics Engineering - North China Electric Power University, Shanghai Jiao Tong University, Generg, Associação de Energias Renováveis, Instituto Superior das Ciências do Trabalho e da Empresa, Câmara do Comércio Luso-Chinesa e COTEC
    • Participação no programa European Energy Research Alliance, de modo a potenciar o networking internacional e a participação em projetos internacionais

As atividades do R&D Nester e as atividades de investigação da REN continuam assim a contribuir para a missão e compromissos da REN, desenvolvendo soluções para um desenvolvimento, operação e gestão das redes energéticas de forma eficiente e uma adequada gestão dos riscos associados, beneficiando a sociedade em geral, e em linha com os desígnios nacionais.

10 SIFIDE - Sistema de Incentivos Fiscais à Investigação e Desenvolvimento nas Empresas

PARTICIPAÇÃO EM GRUPOS DE TRABALHO INTERNACIONAIS

I – ENTSO

A REN tem continuado a cooperar e a participar nas atividades das associações europeias dos operadores de redes de transporte de eletricidade e de gás (ENTSO-E e ENTSO-G) com vista à prossecução dos objetivos relativos à implementação do 3º pacote legislativo do setor energético da UE.

1.1 ENTSO-E (European Network of Transmission System Operators for Electricity):

No contexto do Regulamento (CE) 714/2009, a REN tem prosseguido a sua participação nas atividades da ENTSO-E, em particular pela presença na Assembleia Geral, no System Development Committee, no System Operations Committee, no Market Committee, no Research and Development Committee, no Legal and Regulatory Group e ainda no European Affairs Expert Group.

No que respeita aos Códigos de Rede, a REN tem contribuído para o processo de aprovação e implementação dos códigos de rede europeus nas áreas de planeamento, operação e mercados, através do acompanhamento dos processos de comitologia e da preparação da respetiva implementação nacional em colaboração com a DGEG e com a ERSE. Paralelamente, tem também auxiliado a ENTSO-E na verificação da redação final destes diplomas.

Como realizações mais importantes de 2016 destacam-se:

    • Fase final do processo de comitologia do Código de Emergência e Reposição de Sistema (ER) e das Guidelines de Operação de Sistema (SOGL);
    • Envio para aprovação pelo Parlamento Europeu do Código de Alocação de Capacidades (FCA), de Ligações à Rede (DCC) e de Ligações em HVDC (HVDC);
    • Início da implementação do Código de Alocação de Capacidades e Gestão de Congestionamentos (CACM) e de Requisitos para Geradores (RfG).

1.2 ENTSO-G (European Network of Transmission System Operators for Gas)

A ENTSO-G continuou a sua actividade durante o ano de 2016 através dos grupos de trabalho que integram as suas principais três áreas de negócio: market, system development e system operation. 

No contexto do Regulamento (CE) 715/2009, a REN tem prosseguido a sua participação nos seguintes órgãos e grupos da ENTSO-G: Assembleia Geral, Liaison Group, Legal Team, System Development - WG Investment; WG Market - Capacity, WG Balancing, WG Tariffs, System Operations - WG Transparency e Interoperability; e Kernel Group on Revision of Regulation on Security of Supply.

Em 2016 destaca-se a finalização em comitologia do Código de Rede de Harmonização das Tarifas de Transmissão (TAR) e da alteração ao código de Capacity Allocation and Congestion Mechanism (CACM).

 

II – INSTITUIÇÕES EUROPEIAS

A REN está registada no registo de transparência europeu e nesse quadro intervém nas diferentes fases do processo legislativo europeu junto das distintas instituições da União.

No quadro das iniciativas europeias políticas e legislativas de reforço das interligações, refira-se que a REN fez-se representar no High Level Group on Interconnectivity of the Iberian Peninsula, acompanhando estudos sobre projetos de interligações adicionais de eletricidade e de gás natural. 

Deu-se início ao processo de acompanhamento do Clean Energy Package que a Comissão Europeia lançou em 31 de Novembro de 2016.

 

 

III - GRUPOS DE TRABALHO PRESIDIDOS PELA COMISSÃO EUROPEIA

No âmbito da iniciativa legislativa destinada à implementação das infraestruturas energéticas europeias prioritárias, a REN prosseguiu com a sua participação activa nos NSI West Electricity Cross Regional Group e NSI West Gas Cross Regional Group, sob a presidência da Comissão Europeia. 

 

IV - MED-TSO e FRIENDS OF THE SUPERGRID

No âmbito do contrato celebrado entre a Med-TSO e a Comissão Europeia no qual está previsto o desenvolvimento entre 2015-2017 do Mediterranean Project, foram realizadas várias atividades pelos Comités Técnicos com vista ao desenvolvimento do referido Projecto que primeiramente se destina a planear o reforço da segurança e integração dos sistemas elétricos desta região.

A REN, membro fundador desta associação de operadores da rede de transporte de eletricidade do Mediterrâneo, assegura a sua participação de forma ativa e próxima nesta Associação pela Vice-Presidência da mesma, pela presidência do Comité Operational Activities Cordination e também pela representação em todos os comités técnicos de Med-TSO acima mencionados. Igualmente, deu ainda seguimento à sua participação activa no Regional Group West

Associado à participação nesta associação destaca-se o papel relevante no âmbito das atividades da plataforma da União para o Mediterrâneo (UpM).

Neste ano a REN deu continuidade à sua participação na Friends of the Supergrid (FOSG).

 

V – GIE (Gas Infrastructure Europe), GTBI (Gas Transmission Benchmarking Initiative) e MARCOGAZ:

No GIE, associação representativa das empresas de infraestruturas de gás europeias junto das instituições europeias e de outros stakeholders, a REN tem assegurado a continuidade da sua participação, acompanhando as atividades e reuniões desta entidade e participando na conferência anual da mesma, que este ano versou sobre o tema da Energy Union e as perspetivas futuras do Sistema Energético Europeu para 2030.

A REN preside no triénio 2014-2016 ao GTBI – Gas Transmission Benchmarking Initiative, plataforma de dez operadores das redes de transporte de gás europeias que tem por fim a estruturação e divulgação, entre os membros, de indicadores de desempenho referentes ao transporte de gás natural.
Esta divulgação destina-se a possibilitar a melhoria da eficiência operativa através da partilha de boas práticas no setor.

A REN é membro do Executive Board e da Assembleia Geral da MARCOGAZ, associação técnica da indústria gasista europeia, que desenvolve standards e partilha as melhores práticas em assuntos técnicos.