. . .
3.7.1 ›

ELETRICIDADE

Em finais de 2016, a rede nacional de transporte de eletricidade (RNT) era constituída por 8.863 quilómetros de linhas, 66 subestações transformadoras e 15 postos de corte, de seccionamento e de transição.

REDE NACIONAL DE TRANSPORTES DE ELETRICIDADE 
  A 31 DE DESEMBRO DE '16 A 31 DE DESEMBRO DE '15 VARIAÇÃO
Comprimento de linhas em serviço (km) 8.863 8.805 0,70%
  400 kV 2.670 2.632 1,40%
  220 kV 3.611 3.611 0,00%
  150 kV 2.582 2.562 0,80%
Potência de transformação em serviço (MVA) 36.636 36.673 -0,10%
Autotransformação (MVA) 13.890 14.040 -1,10%
  400/220 kV 7.200 7.200 0,00%
  400/150 kV 5.990 5.990 0,00%
  220/150 kV 700 700 0,00%
  150/130 kV 0 150 -100,00%
Transformação (MVA) 22.746 22.633 0,50%
  400/60 kV 3.910 3.910 0,00%
  220/60 kV 12.448 12.209 1,90%
  150/60 kV 5.928 6.054 -2,10%
  150/130 kV 140 140 0,0% 
  220/30 kV 320 320 0,0% 

A RTN garante o escoamento da energia elétrica desde os centros eletroprodutores até às subestações transformadoras, nas quais é feita a ligação, quer diretamente a consumidores em muito alta tensão, quer a 60 kV entre a rede nacional de transporte e a rede nacional de distribuição.

COMPRIMENTO DE LINHAS E POTÊNCIA DE TRANSFORMAÇÃO

A RNT estabelece igualmente a ligação com a rede europeia de transporte através de dez interligações (nove circuitos a 220 e 400 kV e um circuito a 130 kV) com a Rede de Transporte de Espanha. Esta interligação é assegurada operacionalmente por três circuitos a 220 kV no Douro Internacional, por seis circuitos a 400 kV, dois entre o Minho e a Galiza, um no Douro Internacional, um no Tejo Internacional, um entre o Alentejo e a Estremadura e um entre o Algarve e a Andaluzia. Adicionalmente, como recurso em casos excepcionais para apoio regional à rede de distribuição, está estabelecida uma linha a 130 kV entre o Minho e a Galiza.

 

CAPACIDADE MÉDIA DE IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO, MW

1 928 Mw

IMPORTAÇÃO

2016

2 391 Mw

EXPORTAÇÃO

2016

 

 

O Centro de Despacho Nacional, sediado em Sacavém (Loures), coordena o funcionamento global e garante o equilíbrio do Sistema Elétrico Nacional.

O Centro de Operação da Rede, sediado em Vermoim (Maia), permite a monitorização e operação remota dos equipamentos da RNT

A rede de telecomunicações de segurança, em grande parte apoiada nas infraestruturas de rede de muito alta tensão (fibra ótica e feixes hertzianos), suporta a transmissão de dados, quer para a monitorização da rede em tempo‑real, quer para a transmissão de ordens de comando aos elementos de rede, e permite as comunicações indispensáveis à exploração da RNT.

 

 

REDE NACIONAL DE TRANSPORTE DE ELETRICIDADE